Logo Principal
Saúde

Prefeitura de Foz do Iguaçu pede 70 novos leitos de UTI ao Ministério da Saúde para reabertura da Ponte da Amizade

Prefeitura apresentou plano de contingência nesta terça-feira (13); município disse que não há informação do governo federal sobre liberação da ponte, mesmo assim, trabalha com a possibilidade de reabertura da fronteira.

14/10/2020 11h19
Por: Redação
Fonte: G1 Paraná
 Foto: Prefeitura de Foz do Iguaçu/Divulgação
Foto: Prefeitura de Foz do Iguaçu/Divulgação

A Prefeitura de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, solicitou recursos ao Ministério da Saúde diante da possibilidade de reabertura da Ponte Internacional da Amizade, entre Brasil e Paraguai. O documento foi apresentado ao governo federal nesta terça-feira (13).

A proposta ao governo federal pede a ampliação de 70 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), pois a prefeitura espera que brasileiros e paraguaios, que estão no país vizinho, busquem atendimento médico em Foz do Iguaçu após a liberação da fronteira, segundo o vice-prefeito, Nilton Bobato (MDB).

O Paraguai afirmou que a fronteira será reaberta na quinta-feira (15), após quase sete meses fechada por causa da pandemia. Entretanto, o vice-prefeito de Foz do Iguaçu disse que, até esta terça, a prefeitura não recebeu nenhuma informação do governo brasileiro sobre a liberação ou não da ponte.

Diante da incerteza da reabertura, Bobato explicou que o município tem trabalhado com a possibilidade de liberação da fronteira, pois caso isso ocorra, a Secretaria de Saúde de Foz do Iguaçu estará se preparando.

"Hoje pela manhã eu consultei várias fontes do governo federal, embaixada brasileira em Assunção, Polícia Federal de Foz, Receita Federal, secretaria da presidência da república, assessoria das relações internacionais do Ministério da Saúde, e nenhum órgão dá, até agora, qualquer confirmação se a ponte reabre ou não no dia 15. Então continuamos trabalhando como se ela fosse abrir."

Plano de contingência

O plano de contingência apresentado foi formulado pelo comitê do município, que estuda as demandas que surgirão na área da saúde com a reabertura.

"O município está apresentando a necessidade de mais 70 leitos de UTI. A conta é de um leito para cada 10 mil habitantes, que seria o fluxo de pessoas que poderemos atender a partir da abertura da ponte", explicou Bobato.

A proposta do município ao Ministério da Saúde prevê as ampliações do pronto atendimento e do serviço de triagem de pacientes com a Covid-19, além da implantação de uma unidade móvel de saúde do lado brasileiro da Ponte da Amizade.

De acordo com o vice-prefeito, dos novos leitos solicitados, 50 ficariam em Foz do Iguaçu e os outros 20 atenderiam a macrorregião oeste, pois o município não tem espaço físico para abrigar todos os leitos.

Conforme levantamento do comitê de saúde, os investimentos que estão sendo solicitados ficam em torno de R$ 7 milhões, além de R$ 6,3 milhões por mês com o custeio, somando exames, medicamentos e recursos humanos.

Segundo o vice-prefeito ainda, o Ministério da Saúde adiantou que vai garantir os recursos para Foz do Iguaçu, mas não informou detalhes sobre valores do investimento.

A decisão sobre a abertura da fronteira cabe ao governo de cada país. Dessa forma, para que a reabertura ocorra, Brasil e Paraguai devem autorizar a passagem dos estrangeiros pela Ponte Internacional da Amizade de forma recíproca.

Foz do Iguaçu

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, até esta terça, Foz do Iguaçu registrou 7.877 casos confirmados do novo coronavírus e 118 mortes pela Covid-19.

A cidade tem 202 casos ativos da doença, sendo que entre esses pacientes 74 estão internados e 128 em isolamento domiciliar.

Segundo a prefeitura, até o momento, Foz do Iguaçu conta com 75 leitos de UTI para pacientes com a Covid-19.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias