Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
Família de advogada morta cria página contra o feminicídio
06/08/2018 08:49 em Violência / Abuso

A família da advogada paranaense Tatiane Spitzner, encontrada morta no dia 22 de julho, em Guarapuava, criou perfis nas redes sociais para conscientizar a população a respeito do feminicídio – quando o fato de a vítima ser do sexo feminino é um dos motivos do assassinato.

O corpo de Tatiane foi encontrado no apartamento onde ela morava com o marido Luis Felipe Maivailer. Porém, a causa da morte foi uma queda do quarto andar do prédio. No mesmo dia, Luis Felipe foi preso após se envolver em um acidente na BR-277, com o carro da esposa. Ele segue preso e é suspeito de matar Tatiane.

A família da jovem criou um perfil no Instagram e uma página no Facebook com o nome “Todas por Tatiane Spitzner”. Até a manhã deste domingo (5), a página no Facebook tinha mais de 25 mil fãs e o perfil no Instagram contava mais de 72 mil seguidores.

Em ambas as redes, as postagens se referem a informações a respeito da violência contra a mulher e também à história de Tatiane.

O caso

Segundo a polícia, o casal teria discutido na madrugada do dia 22 de julho e Tatiane teria morrido após cair do 4º andar. Luis Felipe teria levado o corpo da esposa de volta para o apartamento e saiu do local com seu carro. Ele foi preso após um acidente em São Miguel do Iguaçu, a 340 km de Guarapuava.

Imagens das câmeras de segurança mostram as discussões do casal, antes da queda. Também são investigadas conversas entre Tatiane e uma amiga no WhatsApp, em que a vítima afirmava sentir “medo” do marido.

Luis Felipe foi indiciado, pela Polícia Civil, por homicídio qualificado, com motivo torpe e uso de meio cruel, que impossibilitou a defesa da vítima. Foi levado em conta, também , o fato de o crime ter sido cometido contra vítima do sexo feminino – feminicídio. Ele também foi indiciado pelo furto do carro de Tatiane.

Luis Felipe nega as acusações e diz que a esposa se jogou da sacada. Segundo sua defesa, o casal tinha um relacionamento “feliz”, que estava em seu quinto ano.

O Ministério Público (MP-PR), tem até esta segunda-feira (6) para denunciar Luis Felipe à Justiça.

Rádio Cristalina/Paraná Total 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!