Logo Principal
Policial

Corpos são trocados em hospital de Foz do Iguaçu, e Polícia Civil investiga o caso

Confusão só foi descoberta quando a funerária chegou ao hospital na manhã de quinta-feira (17) para pegar o corpo da mulher e não o encontrou.

19/09/2020 10h40
Por: Redação
Fonte: G1
Foto: Reprodução/RPC
Foto: Reprodução/RPC

O corpo de uma mulher que morreu no Hospital Municipal de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, foi enterrado no lugar de um idoso, que morreu na mesma instituição.

A confusão só foi descoberta quando a funerária, que é do Paraguai, chegou ao hospital na manhã de quinta-feira (17) para pegar o corpo da mulher e não o encontrou.

De acordo com a família, Maria Rosa de Carvalho, de 61 anos, morreu na noite de quarta-feira (16).

A suspeita da família é de que o corpo tenha sido trocado no hospital, já que Márcio Batista de Carvalho – sobrinho de Maria Rosa – foi informado que o corpo dela teria saído do necrotério supostamente no lugar de um homem de 78 anos, que foi enterrado no Cemitério Jardim São Paulo.

Investigação

O procurador jurídico do município de Foz do Iguaçu, Osli Machado, confirmou que houve a troca de corpos e que recebeu essa informação na noite de quinta-feira.

Ele disse que foi aberta uma investigação da Polícia Civil para apurar o caso e identificar o responsável.

O procurador também informou que, nesta sexta (18), o Hospital Municipal de Foz do Iguaçu vai encaminhar à Justiça um pedido para que o corpo seja retirado da cova e a troca seja desfeita.

Maria Rosa era brasileira e estava internada desde domingo (13). O sobrinho contou que ela tinha problemas respiratórios crônicos e passou mal no fim de semana.

A família decidiu enterrar o corpo de Maria Rosa no município de Santa Rita, no Paraguai, porque a maioria dos filhos dela mora lá. Santa Rita fica a cerca de 73 km de distância da fronteira.

O local do velório de Maria Rosa já estava organizado. Para a filha, Daiana de Carvalho, essa situação é desoladora.

O que diz a funerária que enterrou o corpo?

A Funerária Nossa Senhora do Rocio, de Foz do Iguaçu, informou que foi chamada para recolher o corpo de um homem no hospital. O funcionário da funerária solicitou o acesso ao necrotério e, no local, havia apenas um corpo que estava sem identificação.

A funerária ressaltou que em momento nenhum o funcionário da empresa foi acompanhado por algum representante do hospital e que fez o sepultamento acreditando que se tratava do corpo correto, respeitando os protocolos necessários nesse momento da pandemia do novo coronavírus.

O Hospital Municipal Padre Germano Lauck lamentou o ocorrido e disse que cumpriu o protocolo de prevenção da Covid-19 no manejo e identificação dos corpos.

Ainda segundo a instituição, a Diretoria Executiva procurou a Polícia Civil para que um inquérito fosse aberto para apurar o caso.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias