Logo Principal
Covid-19

Com recuperação lenta na pandemia, turismo em Foz do Iguaçu espera maior movimento a partir de dezembro

Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da cidade vê futuro do setor com atração de turistas brasileiros; em meio à pandemia, rede hoteleira tem ocupação abaixo de 10%.

10/09/2020 11h07
Por: Redação
Fonte: G1 Paraná
Foto: Giovani Zanardi/RPC
Foto: Giovani Zanardi/RPC

A retomada do turismo em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, deve se fortalecer a partir de dezembro, segundo o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da cidade (Codefoz). Conforme a expectativa da instituição, o município tem grandes atrativos para os turistas brasileiros durante a pandemia do coronavírus, período de restrições para viagens internacionais.

Com as principais atrações ao ar livre, como as Cataratas do Iguaçu, Itaipu Binacional, Parque das Aves e Marco das Três Fronteiras, o destino tem potencial ainda maior nesse momento de medidas sanitárias, de acordo com o vice-presidente do conselho, Felipe Gonzalez. Veja abaixo todos atrativos.

"Foz do Iguaçu é uma joia rara com duas maravilhas, uma de Deus, as Cataratas, e a outra da engenharia moderna, a Itaipu. Foz já tem um excelente caminho aberto no mercado nacional e agora tem passado segurança nos ambientes, por isso, esse momento é de oportunidade, principalmente, a partir de dezembro."

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, até quarta-feira (9), Foz do Iguaçu registrou 5.763 casos confirmados do novo coronavírus e 73 óbitos pela Covid-19. A cidade conta com 246 casos ativos da doença.

Economia

O movimento nos circuitos turísticos no último feriado, o primeiro durante a pandemia, foi positivo para a cidade, que depende do setor economicamente, de acordo com o Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (Sindihotéis). Entretanto, a categoria vê uma recuperação lenta no ramo, com grandes prejuízos nos últimos meses, nada sustentáveis apenas com feriados.

A rede hoteleira, por exemplo, tem cerca de 180 estabelecimentos, que oferecem 30 mil leitos. Em meio à pandemia, a ocupação tem sido abaixo de 10% em hotéis, pousadas, hostels e resorts. No caso de estabelecimentos menores, que contabilizam cerca de 23 mil leitos, a demanda tem sido praticamente zero, conforme o Sindhotéis.

"Já temos hotéis que colocaram o espaço à venda. Outros estão devolvendo o lugar, pois são hotéis locados. Não existe empresário que tenha capital de giro para tanto tempo. Estamos preocupados com mais fechamentos para os próximos meses", disse o presidente do Sindhotéis, Neuso Rafagnin.

De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), no 1º semestre de 2020, Foz do Iguaçu registrou saldo negativo na geração de empregos, com o fechamento de 6.610 vagas.

O número foi puxado pelo setor de serviços, principalmente, pela área de alojamento e alimentação, que representa o turismo essencialmente, impactado pela a pandemia. Nesses estabelecimentos, foram perdidos 3.108 empregos, no 1º semestre, em Foz do Iguaçu.

De acordo com a Secretaria Municipal de Turismo, Indústria, Comércio e Projetos Estratégicos, é difícil estimar as perdas financeiras do turismo na cidade neste período.

O município informou que para ajudar os empreendimentos do setor na pandemia criou o programa Foz Juro Zero, com a liberação de R$ 13 milhões. O crédito disponibilizado pode ser de até R$ 6 mil, com 12 meses de carência e dois anos para pagar.

Além disso, segundo a secretaria, foram criados os protocolos sanitários para a retomada dos serviços no setor.

Obra de duplicação da BR-469 é importante rota turística em Foz do Iguaçu

Retomada fortalecida

Para divulgar o destino, a Itaipu Binacional está com a campanha: "Cansado de ficar em casa? Vem pra Foz!". A ideia principal é atingir o turismo rodoviário no Paraná. As peças estão sendo veiculadas em diferentes plataformas, principalmente, em Curitiba, Maringá, Londrina e Cascavel.

Segundo o vice-presidente do Codefoz, um programa de incentivo está sendo desenvolvido para atrair mais turistas à cidade. A plataforma online "Com desconto", reunirá diversas informações sobre os estabelecimentos comerciais, turísticos e de serviços do município.

No site, os usuários encontrarão descontos para visitar ou fazer compras na cidade. A previsão é de que o projeto seja lançado em outubro, segundo o conselho.

Conectividade

Companhias aéreas têm programado o retorno de mais voos diretos na cidade a partir de outubro. Conforme levantamento divulgado pela prefeitura, no próximo mês, o município deve contar novamente com voos diretos para Curitiba, Porto Alegre (RS), Rio de Janeiro (RJ) e Santiago, no Chile. As passagens estão disponíveis para a venda pelas companhias.

A secretaria afirma que esses são voos programados pelas companhias, que dependem da demanda e condições sanitárias favoráveis em meio à pandemia da Covid-19.

Coronavírus: Foz do Iguaçu autoriza eventos com até 50 pessoas em agosto

"Em outubro e novembro será um período de acomodação das linhas aéreas, um recomeço. Nessa época, é possível que a cidade tenha maior movimento nos fins de semana, mas fique vazia durante a semana. Em dezembro, o número de visitantes deve aumentar com mais frequência", disse o vice-presidente do Codefoz.

O Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu, até esta quinta-feira (9), conta com voos diretos para Campinas e Guarulhos (SP).

O terminal de Foz do Iguaçu registrou redução de 45,9% nas operações, entre pousos e decolagens, no primeiro semestre de 2020, em relação ao mesmo período de 2019.

Sobre o número de passageiros, em comparação entre janeiro e julho dos dois anos, a diminuição foi de 48,5%, conforme dados da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero).

O Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu fechou em abril por causa do novo coronavírus e teve retorno das operações, de forma gradual, a partir de maio.

1º semestre 2019

*Pousos de decolagens: 10.163

Passageiros: 1.120.765

1º semestre de 2020

*Pousos e decolagens: 5.496

Passageiros: 576.736

Atrativos turísticos

Com uma série de medidas restritivas, os atrativos turísticos de Foz do Iguaçu têm retomado, de forma gradual, as atividades na cidade.

*Parque Nacional do Iguaçu

Funcionamento: de terça-feira a domingo, das 9h às 16h

Ingressos: de R$ 11 a R$ 72

Vendas: pela internet

* Restaurante Porto Canoas está fechado

*Macuco Safari:

Funcionamento: de terça-feira a domingo, das 9h às 16h

Ingressos: R$ 61,50 a R$ 246

Vendas: pela internet

*Complexo turístico Itaipu

Funcionamento: diariamente, das 9h às 16h

Ingressos: de R$ 21 a R$ 42

Vendas: pela internet

*Marco das Três Fronteiras

Funcionamento: de terça-feira a domingo, das 15h às 21h

*Praça de alimentação em funcionamento e com apresentações artísticas

Vendas: presencialmente

*Restaurante Cabeza de Vaca está fechado

*Expedição Aguaray

Funcionamento: Terça-feira a domingo

Saídas: às 9h e às 15h

Ingressos: R$ 155

Vendas: Pelo telefone (45) 99158 8826

*Passeio no Kattamaram 2

Almoço: às 12h

Pôr do sol: às 17h

Ingresso: R$ 150

Vendas: pela internet

*Parque das Aves

Funcionamento: de terça-feira a domingo, das 9h às 17h.

Ingressos: R$ 60 para adultos e gratuito para crianças

Vendas: pela internet

*Complexo Dreamland

Funcionamento: diariamente, das 10h às 18h

Ingressos: de R$ 47 a R$ 94

Vendas: pela internet

* Bar de gelo tem horário diferenciado, das 12h às 20h.

Medidas sanitárias

Apesar do turismo voltar aos poucos, a diretora de vigilância em saúde, Carmensita Gaievski, ressalta a responsabilidade de cada visitante em seguir as normas sanitárias de prevenção.

"A pandemia não acabou, ainda estamos registrando muitos casos novos todos os dias, em Foz do Iguaçu. A taxa de ocupação de leitos passa dos 90%, uma situação bastante preocupante."

A diretora orienta que a população continue se protegendo contra o novo coronavírus, com medidas simples:

Lavar as mãos com frequência.

Utilize água e sabão ou usar álcool em gel 70% para higienização. Aumentar a frequência sempre que estiver em ambiente público ou tocar superfícies e objetos de uso compartilhado.

Cobrir nariz e boca com lenço de papel ou com a parte interna do cotovelo ao tossir ou espirrar.

Não tocar olhos, nariz, boca ou a máscara de proteção com as mãos não higienizadas.

Manter distância mínima de um metro entre pessoas.

Evitar abraços, beijos e apertos de mãos.

Higienizar com frequência celular, brinquedos das crianças e outros objetos usados regularmente.

Não compartilhar objetos de uso pessoal como talheres, toalhas, pratos e copos.

Evitar sair de casa sem necessidade. Sempre que for necessário sair, usar a máscara.

A máscara deve ser utilizada em todos os ambientes.

O uso de máscaras em Foz do Iguaçu é obrigatório, conforme decreto municipal.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias